Pesquisa da UFF aponta deficiências no tratamento de pacientes oncológicos no sistema privado
Ter, 10 de Dezembro de 2013 14:54

O médico Thiago Inocêncio, mestre recém-formado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal Fluminense, desenvolveu em sua dissertação de mestrado um estudo sobre os modelos assistenciais para tratamento de pessoas com câncer pelas operadoras de planos de saúde. Dentre os aspectos abordados na pesquisa, destaca-se o fato de a maioria dos pacientes oncológicos não receber um tratamento adequado. Essa situação gera uma sensação de insegurança e desorientação e, segundo o pesquisador, foi uma das principais razões que motivaram seu estudo.

Apesar do acesso às tecnologias de saúde, a pesquisa concluiu que o cuidado oferecido aos pacientes, no setor privado, é parcialmente efetivo. No tocante aos aspectos da assistência integral, por exemplo, deixa-se de seguir recomendações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que incentivam a promoção da saúde e prevenção do câncer. Outro ponto destacado no estudo foi uma a tendência à priorização de interesses econômicos em detrimento do cuidado integral dos pacientes.

Por conta desse trabalho, intitulado “Trajetórias assistenciais de pacientes com câncer: aspectos do cuidado integral em operadora de autogestão”, Inocêncio foi agraciado no 3º Prêmio Iess de Produção Científica em Saúde Suplementar. O pesquisador ficou em segundo lugar na categoria Promoção da Saúde e Saúde Suplementar.

Ele destacou que a pesquisa foi um grande aprendizado e frisou que o trabalho qualitativo, com a devida atenção dada aos pacientes, cumpriu também uma função social na exposição de problemas. “Acredito que, como pesquisadores, cumprimos o papel de dar voz aos pacientes e, assim, descortinar situações e gargalos que não são facilmente detectados por outros métodos predominantemente quantitativos de pesquisa”, ressaltou.O pesquisador também se mostrou feliz com o reconhecimento do trabalho por meio da premiação. “Receber um prêmio de nível nacional trouxe o sentimento de realização pelo trabalho construído nesses últimos anos e a certeza de que contribuímos para dar alternativas viáveis para a solução de parte dos problemas vividos por muitos outros beneficiários de planos de saúde”, comemorou o professor.